Absoluta

23/08/20 Ansiedade x Obesidade

Entenda essa relação e aprenda a minimizar os impactos

O Brasil é o país que concentra o maior número de pessoas ansiosas do mundo. Em 2019, a Organização Mundial da Saúde divulgou que 9,3% dos brasileiros, ou seja, 18,6 milhões de pessoas, sofrem com o transtorno.
O problema se agravou com a pandemia. Uma pesquisa divulgada pelo Google, recentemente, apontou que os brasileiros procuraram três vezes mais pelo tema ansiedade nos últimos três meses do que em 16 anos. Apenas a expressão “como é ter crise de ansiedade” aumentou 5.000% entre janeiro e julho.
Estudos comprovam que a ansiedade leva à compulsão alimentar e, consequentemente, ao ganho de peso. A especialista em obesidade Edivana Poltronieri explica a relação entre ansiedade e alimentação, e como direcioná-la para os alimentos certos para minimizar os impactos negativos na saúde.

Ansiedade e obesidade
“A pessoa ansiosa, geralmente, precisa de um escape. O mais acessível e prazeroso, para a maioria delas, acaba sendo a comida. Ela não se alimenta porque está com fome, mas faz isso para liberar os seus impulsos. E é nesse momento que inicia a compulsão alimentar”, explica.
Edivana, que já ajudou muitos obesos a perderem peso, pontua que o problema da maioria era a ansiedade. “A ansiedade causa alterações hormonais, liberando cortisol, adrenalina e carga glicêmica, responsáveis pelo acúmulo de gordura. Com isso, vem o ganho de peso”.

Aprenda a direcionar a ansiedade nos alimentos certos
Ela explica que comida gordurosa, derivados de açúcar e farinha refinados, como biscoitos e doces, são os principais vilões de quem come por ansiedade. “Esse tipo de comida desperta prazer, porém, coloca a pessoa em um ciclo viciante de que nunca é suficiente”, pontua. E destaca a importância de encontrar alternativas que gerem prazer, porém que sejam pouco calóricas, como frutas cítricas, leite, ovos e derivados magros, carnes e peixes.
“A recomendação não é proibir comer um carboidrato ou chocolate quando se está com vontade, mas tentar direcionar a tensão principal para esse tipo de alimento, até que a pessoa consiga discernir o que é vontade constante e pontual”, explica.
Embora seja um processo lento, ele é fundamental para não comprometer a saúde. “Esse tipo de descontrole é o que gera o alto índice de diabéticos, cardíacos, colesterol elevado e pressão alta. Então, se a pessoa só se sente bem comendo descontroladamente, é preciso procurar tratamento para controlar a impulsividade”, finaliza Poltronieri.
 


Assine nossa Newsletter













Parabéns ABSOLUTA! "Há flores belíssimas e perfumadas que só duram poucas horas. No entanto, as pedras duram milênios realizando as suas tarefas". Meus votos são para que ABSOLUTA dure milênios, realizando suas tarefas que são muitas e valiosas para os CAMPINEIROS. SUCESSO SEMPRE.
Celina Duarte Martinho

 

Parabéns, Absoluta! Nesses anos todos, é difícil lembrar de um evento ou lançamento em que a Absoluta não esteve presente, sempre mostrando o melhor e mais representativo da sociedade atual, num mix de jornalismo, entretenimento e variedade, mas nunca deixando a emoção de lado.
A credibilidade nas opiniões e a rápida adequação às tendências nos mais variados setores, coloca a publicação num patamar único em toda a região.
O destino Estados Unidos, com seus inúmeros pontos turísticos, foi muitas vezes visitado pela Absoluta com seu olhar diferenciado, transformando cada roteiro num objeto de desejo para seus fiéis leitores.
Obrigada, Absoluta! Que sua incrível equipe continue nesse caminho de sucesso e luz!
Jussara Haddad, do Consulado e Embaixada dos Estados Unidos

 

Entre em contato agora mesmo!


Desejo receber as novidades