Absoluta

13/10/20 Desenvolvimento da fala

6 atividades para ajudar em cada fase da infância

O desenvolvimento da linguagem e da fala humana iniciam muito cedo. Para se ter uma ideia, desde o período gestacional o bebê pode ouvir sons por volta da 12ª semana de gestação e responder aos sons com movimentos a partir da 24ª semana. Assim, o reconhecimento das vozes e outros sons evolui continuamente após o nascimento, junto das formas não-verbais de comunicação, como o olhar para o rosto das pessoas, sorrir para elas, e iniciar a vocalização (a chamada linguagem de bebês). Por volta de 1 ano de idade, a compreensão de palavras deve ter avançado e espera-se o “papa” e “mama”, que enchem os pais de alegria e marcam o que se espera com início do desenvolvimento da fala propriamente dito. 

Os pais podem colaborar e muito, com o desenvolvimento da fala dos seus filhos. A participação da família nessa fase faz toda a diferença. De acordo com a fonoaudióloga Karine Luiza Bergamo de Camargo, incentivar as crianças nos primeiros anos de vida fundamental. “A participação dos pais e familiares é muito importante para ajudar desenvolvimento da fala, e existem várias formas de fazer isso. O quanto antes iniciarmos esse processo, melhor”, explica.

Para ajudar os pais nessa tarefa, Karine separou algumas atividades que vão auxiliar no desenvolvimento dos pequenos mesmo nesse período de isolamento social. São brincadeiras simples e que podem ser feitas tranquilamente em casa.

0 a 1 ano: brincar de cadê, achou! Fazer os sons dos animais por exemplo: o cachorro faz au-au! Estimular a criança a falar, por exemplo: PAPAI. Cadê o Papai? Cadê a mamãe?

1 a 2 anos: Cantar músicas simples como do "Seu Lobato". Pedir para a criança nomear as partes do corpo, por exemplo: o que e isso? Enquanto pega o pé da criança. Brincar de encaixar blocos e ir nomeando para a criança as cores.

2 a 3 anos: Usar fotos da família e de pessoas próximas mostre para a criança e peça para ela dizer quem é. Brincar com animais ir nomeando cada um deles. Pergunta a ela como foi seu dia, depois repita o que ela disse para a mostrar a criança que você entendeu.

3 a 4 anos: Utilizar uma variedade de frutas e criar um pique nique, ir repetindo o nome das frutas, as cores, deixando-a provar e dizer se gostou. Fazer perguntas a criança utilizando quem, onde, quando, o que? Selecione figuras de acontecimentos e pergunte o que está acontecendo, ou o que ela/ele está fazendo? Você pode montar uma fazendinha e perguntar para a criança, qual animal vai no lago?

4 a 5 anos: Incentivar a criança a escolher suas roupas. Oferecer diferentes alimentos e perguntar qual ela quer. Criar cenários para a criança escolher os itens e colocar no local correto. Pedir para ir narrando o que elas está fazendo.

6 anos: Incentivar a leitura conjunto, escolher um tema que a criança gosta. Oferecer atividades que envolva a leitura, por exemplo, vocês podem fazer juntos um bolo, e ir lendo junto com a criança a receita. Jogos, como vira letras, é ótimo para estimular a formulação de palavras.

“Muitas vezes temos o instinto de falar com a criança de forma diferente, usar palavras erradas, sons mais infantizados. Para o desenvolvimento adequado, é muito importante falar da forma correta com a criança, para que ela tenha o modelo certo de cada palavra”, finaliza Karine.
 


Assine nossa Newsletter













A Absoluta chega à maioridade de maneira magnífica.Em todos esses anos, soube aliar a memória histórica significativa dos fatos ao presente palpitante e traçar cenários precisos para o futuro. Soube aliar fatos, dados e informações das mais diversas áreas do conhecimento, da cultura, da arte e até da religião. Com a revista, ficamos mobilizados por muitas causas, nos comovemos, tivemos prazer, rimos e choramos, mas ela nos encantou a cada edição. Parabéns Betty e Isabelle!
Que essa energia mágica que lhes permite conduzir a Absoluta de forma tão especial, seja sempre abençoada.
Maria Inês Fini, presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP)
 

 

No final da tarde de ontem, quando peguei nas mãos a Absoluta, um misto de emoções se apoderou de mim: felicidade, honra, responsabilidade, sensação de que Valeu ter iniciado essa História aqui em Campinas - cidade que tanto tanto me deu e à qual sou grata -... enfim... Betty, muito obrigada pelo privilégio de estar entre suas Mulheres Absolutas, das quais você é A INCONFUNDÍVEL por excelência, inclusive na na voz, que me permite sua singular e sempre deliciosa identificação quando chego nos variados ambientes em que nos encontramos. Obrigada pelo carinho e profissionalismo da matéria! Obrigada por todo o apoio. Obrigada a equipe e ao fotógrafo!!!! Parabéns por mais essa brilhante edição!
Emmanuelle Garrido Alkmin 

Entre em contato agora mesmo!


Desejo receber as novidades