15/03/18 Coleção outono-inverno

Após desfiles, tendências invadem as ruas da cidade luz

A temporada de moda parisiense terminou e as tendências já invadiram as ruas da cidade luz. Apesar da coleção outono-inverno trazer novidades para 2018/2019, o street style mostra que as fashionistas não vão conseguir esperar até lá. Enquanto o friozinho ainda der as caras no hemisfério norte, as ruas já vão dar uma ideia do que teremos pela frente.
Por aqui, o outono se aproxima e muito do que se viu na Europa deve inspirar os looks das próximas estações. Para quem quiser usar e abusar das novas tendências, elaboramos um guiazinho básico do que se viu nas passarelas da última Paris Fashion Week.

- O acessório do momento é, sem dúvida, a bota. Cano alto, altíssimo, curto, de preferência estampada, colorida, metalizada, com salto da mesma cor. Elas prometem estar por toda parte

- Para valorizá-las ainda mais, as calças aparecem mais curtas, com bocas largas - bem largas por sinal

- Faz tempo que não se combinava mais a cor da bolsa com a do sapato, mas agora, a tendência deve voltar forte

- O xadrez vem com tudo no outono-inverno. A padronagem principal é, sem dúvida, a Príncipe de Gales, mas ele aparece também em diferentes formas e tamanhos, inclusive coloridos, usados com botas combinando.

- Os vestidos apareceram mais longos e, como se não bastasse o comprimento maior que os das estações passadas, estão sendo usados agora com calças do mesmo tom. A regra agora, parece ser a de cobrir bem a mulher.

- As estampas de animais ainda vinham sendo usadas, mas agora estão com tudo. É onça, cobra, leopardo, girafa... Solte suas feras!

- As golas altas voltaram a aparecem, deixando as composições bastante elegantes. Pode usar sem medo.

- Se observarmos bem as criações que subiram à passarela, vamos notar que os looks ou combinam tudo entre si ou não combinam nada! Então, não estranhe se encontrar alguém totalmente descombinando por aí.

- O vermelho apareceu muito, tanto nas peças como nos acessórios. Muitas botas vermelhas desfilaram por Paris, na última temporada de desfiles.

- Anote bem essa dica: Casacos oversized - aqueles que parecem 2 ou 3 x o seu tamanho. Enormes! Estavam por toda parte.

- Os conjuntinhos voltam com tudo. Casaquinho e calça; blazer e calça: blusa e saia. Sempre com a mesma estampa!

- Lembram das jaquetas jeans ou de tecido com pele dentro. Talvez você esteja torcendo o nariz, mas a verdade é que sim, elas estão com tudo e prometem manter todo mundo bem aquecido.

- Cintos enormes, ou finos desde que usados dois ou três de uma só vez. O importante é deixar a cintura marcada!

- A onda futurista deve permanecer nas próximas estações, já que o metalizado voltou a aparecer bastante em calças, sapatos, botas e bolsas. Fique ligada!

- As cabeças ganharam charme com chapéus, boinas, lenços. Na nova estação, a dica é cobrir a cabeça

- Os lenços, aliás, voltam com tudo lembrando os anos 60. Pode usar e abusar.

- Outro acessório que chamou à atenção foi a luva, agora usada bem comprida e sem os dedos.

- Sabe aquele tênis que ficava guardado no fundo do armário, amarelado, com cara de velho? Pois bem, ele volta com tudo. Agora, com o nome de Dad’s Shoes, para serem usados com ternos, calças sociais, vestidos. O mais esquisito é que estão sendo vendido assim, com machas de sujeira, cara de surrado

- As modelos desfilaram também, com cabeças de cera ostentadas nas mãos, como acessórios. Alguém se habilita?
 


Assine nossa Newsletter


























Foi um prazer viajar pela páginas, parabéns!
Eliana Barbon Sanchez

Na matéria da revista Absoluta, em que Isabelle Sabbatini escreveu o texto sobre Egas Francisco, tive uma certeza: ela compreendeu um gênio !!!!!!
As suas palavras descrevem Egas como alguém "que inspira mansidão, acolhimento, ousadia e loucura". Esta é a síntese da genialidade de quem suplanta todas as expectativas de ser apenas um igual e abraça com ousadia e coragem as suas próprias contradições para construir um novo caminho. Pessoas que extrapolam os conceitos vulgares de simplesmente existir e, assim, atingem a genialidade. Pessoas que tornam menos sombria a condição humana, porque elas tem a criatividade e a força de espírito maior do que a maioria das pessoas integradas no contexto do existir comum.
Parabéns, Isabelle !!! Amei a matéria !!!! Bjs
Anna Maria Badaró, artista plástica

Mensagem