Absoluta

01/12/18 Orientações certeiras

4 dicas para fazer a unha perfeita em casa

Apesar do grande número de salões de beleza espalhados por todo o Brasil, ainda é muito comum as mulheres fazerem a sua própria unha em casa por conta da praticidade. Para quem está começando, a manicure  Danielly Cardoso, dá quatro dicas para fazer a unha perfeita sem erros na execução. Confira:

1- Escolher uma cor mais básica
Quando a pessoa não tem muita prática pintando as unhas, a melhor opção é escolher cores mais simples, como um branco ou um nude. "As cores mais claras são mais fáceis de limpar e também de evitar alguns incidentes", explica Danielly.

2- Para evitar bolinhas na unha

É comum acontecer da unha ficar com bolinhas depois de seca. Danielly explica que isso pode acontecer quando a pessoa tem a mão muito quente. "É importante antes de pintar, colocar a mão na água fria para ela ficar gelada. E se mesmo assim, ficar bolinhas, passar um extra brilho nas unhas, ele dá uma maquiada no esmalte", completa.

3- Durabilidade do esmalte
Para o esmalte durar mais, certifique-se que não está com nenhum tipo de creme na unha. O ideal é sempre passar um algodão com removedor de esmaltes na unha antes de pintar. Além disso, é importante passar duas camadas finas de esmaltes e se atentar com as datas de validade, porque o esmalte vencido fica grosso e sai muito mais fácil da unha.

4- Remover o esmalte sem agredir as unhas
Para remover esmaltes mais escuros ou com glitter, a melhor opção é molhar um algodão com removedor de esmaltes e deixar na unha por um tempo. Desse jeito, o esmalte amolece e sai mais fácil.
 


Assine nossa Newsletter



























No momento em que Absoluta completa a 100ª edição, transmito minha mensagem de saudação e cumprimentos a Betty Abrahão e a sua dinâmica e qualificada  equipe, que souberam fazer da revista um instrumento agradável de informação, cultura e entretenimento. Um ponto de encontro no desencontro do dia-a-dia, pois como dizia Vinícius, “A vida é a arte do encontro, embora existam tantos desencontros pela vida”. Absoluta, no agitado dia-a-dia de nossos tempos, acabou se transformando em um interlocutor inteligente e sensível, trazendo à sociedade da região metropolitana de Campinas, tudo o que acontece de relevante nas multifacetadas áreas do conhecimento humano e da produção científica. Arte, cultura, lazer, política, moda, gastronomia, viagens, saúde, se conectam para fazer da revista um campo fértil de diversidade, como plural é, ou deve ser, a vida da gente.  Essa conexão tem, contudo uma marca que a distingue de todas as outras revistas e assinala a sua autenticidade como veículo de comunicação. O toque de humanismo e delicadeza que se sente no seu folhear, no perpassar de suas entrevistas e reportagens e especialmente no respeito à memória, quando Betty reproduz, de forma gratificante, parcela da obra de seu tio, o competente e saudoso jornalista, Jamil Abrahão, sob cujas penas e lentes se registraram pessoas e  momentos importantes da vida pública  e privada da terra de Carlos Gomes, Campos Sales e que também é orgulhosamente nossa.  No centésimo aniversário, e cem é um número de consagração, os nossos parabéns e os votos de que a revista continue tendo longa vida na contribuição inegável que traz às velhas e novas gerações com informações e valores.  E oxalá que o Absoluta de seu batismo continue significando, como tem significado na sua trajetória, plenitude, diversidade e grau máximo de intensidade, marca das salutares paixões de seus protagonistas, no caso, bem resolvidas em nosso benefício. Grande abraço
Jamil Miguel 

Que a Revista Absoluta continue semeando o bem como tem feito até aqui na sua centésima edição. Quanto bem e quantas informações úteis esta revista tem proporcionado aos queridos leitores. Revistas como esta são sempre bem acolhidas pela população em geral, pelas informações que são prestadas à comunidade. Peço a Deus, o Ser Absoluto, que faça a revista Absoluta prosseguir um longo caminho, atingindo centenas de vezes o seu número cem.
Monsenhor Fernando de Godoy Moreira