06/01/18 Pele do rosto

Máscaras faciais ajudam a recuperar a vitalidade e amenizar problemas

As promessas são muitas, as opções também. Cada vez mais, marcas do setor beauty investem em máscaras faciais. Mas, assim como acontece com outros itens de beleza, é preciso atenção aos componentes para garantir a eficácia dos resultados e, mais do que isso, evitar “dores de cabeça”.
Entre as vantagens, por ser um cosmético que, durante a aplicação, fica em contato direto com a pele, na concentração mais alta e por mais tempo, a ação é prolongada. Além disso, os produtos agem de forma específica, focando apenas em determinado problema.
De acordo com a dermatologista Débora Azenha, a recomendação para uso é a partir da adolescência, fase em que a pele fica mais oleosa e pode apresentar acne, devido à ação hormonal. É importante lembrar que a partir dos 25 anos que a pele começa a, digamos, envelhecer, período em que a taxa de renovação do colágeno passa a ser inferior à necessária – a cada 10 anos, há perda de 10% do colágeno.
Não há restrições quanto ao tipo de pele – principalmente as máscaras calmantes –, porém, as sensíveis merecem maior atenção. “Aquelas [máscaras] com efeitos clareadores, rejuvenescedores ou antioleosidade podem provocar algum tipo de reação em peles mais sensíveis, como nas pessoas com rosácea e dermatite seborreica. Portanto só, devem ser usadas sob recomendação do dermatologista”, explica Débora. “As máscaras apresentam efeito imediato após o seu uso, então, acabam sendo interessantes quando se deseja essa melhora rápida da pele, como, por exemplo, para uma festa”, opina.
No mercado, existem dois tipos de máscaras: as descartáveis, embaladas individualmente, e em creme. Ambas apresentam vantagens e desvantagens, conforme aponta a dermatologista. “As máscaras descartáveis, que não precisam de enxágue, devem ser usadas apenas uma vez e são vantajosas porque têm menor chance de contaminação externa e de mudanças no produto depois de aberto. Já as máscaras em creme precisam de enxágue, são um pouco mais trabalhosas para a aplicação e retirada, além de exigirem atenção quanto à validade do produto depois de aberto e suas características”, explica.
Em relação aos componentes do cosmético, a dermatologista Christiana Blattner afirma que devem ser aqueles em que há indicação para uso, como ácido hialurônico, chá verde, argila, óleos de argan, melaleuca. “A meu ver, as máscaras são um carinho para a pele e um momento de relaxamento. Esse é o grande benefício das máscaras, diferentemente de um creme do dia a dia, em que você passa e acabou”, acrescenta Christiana. O ideal é que o produto fique em contato com a pele, que deve estar limpa e higienizada, durante, no mínimo, 15 minutos, repetindo em frequência semanal – na maioria dos casos. “As máscaras abrasivas devem ser usadas esporadicamente. O excesso de hidratação também pode prejudicar. Ideal seguir a orientação médica”, lembra.
Entre as máscaras mais conhecidas, listamos as de ácido hialurônico, que agem no rejuvenescimento; de ouro,  que melhoram a hidratação, o viço e a textura da pele, e têm efeito antioxidante; de argila, conhecida por desobstruir os poros, provocar afinamento discreto da epiderme e absorver o sebo, melhorando a aparência da pele oleosa; de colágeno, com ativos hidratantes e antienvelhecimento, como peptídeos, que melhora a firmeza e a hidratação da pele; além dos inúmeros tipos de máscaras clareadoras e calmantes, como as que são usadas pós lasers ou peelings químicos.

Vale lembrar que a máscara é considerada um tratamento dermatológico complementar e não substitui os cuidados diários com a pele. Pelo contrário. O acompanhamento profissional é indispensável, sobretudo, para garantir a prescrição correta. 

Confira nossa seleção de produtos encontrados no mercado.


Assine nossa Newsletter


























Compromisso, seriedade, credibilidade, variedade de temas, e muitos outros fatores fazem a Revista Absoluta ser respeitada por todos e ter percorrido estes anos com tanta dignidade. Parabenizo toda a equipe “Absoluta” e que vocês possam continuar sempre na luta.
Ligia Rafful

 

No momento em que Absoluta completa a 100ª edição, transmito minha mensagem de saudação e cumprimentos a Betty Abrahão e a sua dinâmica e qualificada  equipe, que souberam fazer da revista um instrumento agradável de informação, cultura e entretenimento. Um ponto de encontro no desencontro do dia-a-dia, pois como dizia Vinícius, “A vida é a arte do encontro, embora existam tantos desencontros pela vida”. Absoluta, no agitado dia-a-dia de nossos tempos, acabou se transformando em um interlocutor inteligente e sensível, trazendo à sociedade da região metropolitana de Campinas, tudo o que acontece de relevante nas multifacetadas áreas do conhecimento humano e da produção científica. Arte, cultura, lazer, política, moda, gastronomia, viagens, saúde, se conectam para fazer da revista um campo fértil de diversidade, como plural é, ou deve ser, a vida da gente.  Essa conexão tem, contudo uma marca que a distingue de todas as outras revistas e assinala a sua autenticidade como veículo de comunicação. O toque de humanismo e delicadeza que se sente no seu folhear, no perpassar de suas entrevistas e reportagens e especialmente no respeito à memória, quando Betty reproduz, de forma gratificante, parcela da obra de seu tio, o competente e saudoso jornalista, Jamil Abrahão, sob cujas penas e lentes se registraram pessoas e  momentos importantes da vida pública  e privada da terra de Carlos Gomes, Campos Sales e que também é orgulhosamente nossa.  No centésimo aniversário, e cem é um número de consagração, os nossos parabéns e os votos de que a revista continue tendo longa vida na contribuição inegável que traz às velhas e novas gerações com informações e valores.  E oxalá que o Absoluta de seu batismo continue significando, como tem significado na sua trajetória, plenitude, diversidade e grau máximo de intensidade, marca das salutares paixões de seus protagonistas, no caso, bem resolvidas em nosso benefício. Grande abraço
Jamil Miguel 

Mensagem